02 setembro 2006

E tudo começou com um simples aperto









Coruche - 90 kms
Em véspera de mais um reconhecimento para uma futura travessia de vários dias, a verificação técnica da Canondale Prophet resulta num parafuso partido.
Sem stress, a bike híbrida de roda 28 devia aguentar. – Pensou o Paulo
Já em Coruche com o 3º elemento desta aventura, rolámos sem medos pela lezíria ribatejana.
Alguns kms volvidos, diz o Gil, cuidado que nesta zona fura-se muito. Dito e feito. As plantas chamadas “abre-olhos” encarregaram-se de aniquilar a única bicicleta estranha, nunca antes vista por aquelas paragens.
Se não queres furar, líquido verde tens de usar – disse eu ao Paulo.
Ambos os pneus pareciam um ouriço caixeiro; como só havia uma câmara, tivemos que remendar. A cada remendo, um furo novo. Foram 6 no total.
Com 40 º sob as nossas cabeças surge a ideia. Porque não colocar uma câmara 26?
Estica daqui e estica dali e no final aqui ficou mais uma história para contar.

1 comentário:

Sandra disse...

No meu último passeio de bike, tivemos ao todo 21 furos!!! foi lindo!!!Sem camaras de ar, tivemos que dividir os remendos!!!