23 fevereiro 2009

Rota da Neve Inatel – Manteigas





6 a 8 Fev e 13 a 15Fev09

"Não deixes mais que pegadas, não leves mais que fotografias"

Embora fiel ao princípio que norteia qualquer amante da natureza ( leave no trace), ao efectuar os reconhecimentos para esta actividade, foi fácil deixar pegadas e rastos; difícil, porém, foi caminhar sem me afundar em neve quase até à cintura durante aproximadamente 10 kms.
Este prenúncio já se adivinhava quando, na A23 todo o sistema montanhoso à nossa frente se encontrava coberto de um manto branco. Manteigas estava do outro lado, como estaria o cenário?
Há muito tempo que não caía um nevão tão intenso quanto este. A Rota da Neve deste ano do Inatel, tinha razões mais que suficientes para fazer jus ao nome e proporcionar a todos os participantes uma experiência no mínimo “crocante” (sentir o gelo a derreter sobre as rodas).
Com diversos tracks que nos permitiam múltiplas opções e quilometragens para os dois dias de Rota, restava averiguar in loco, o estado do terreno.
Depois de um pequeno-almoço farto e abastado, carregamos a bicicleta em cima do carro e lá vamos nós...pró “atanscanço”. À segunda paragem forçada, só os 10€ para o tractor nos safaram. Mais à frente atolados, um outro grupo de aventureiros aguardava o auxílio dos bombeiros.
Reflectindo agora sobre o acontecimento, a nossa atitude foi a mesma deste governo, ou seja, utilizador = pagador. Os outros recorreram ao bolso do contribuinte movimentando meios humanos e viaturas a mais de uma dezena de quilómetros de distância. INCHA, que a CRISE é de TODOS.
Oito dias se passaram e muitos metros cúbicos de neve se evaporaram, inclusive nas zonas mais altas, apenas havia um resquício do que as fotos documentam. Nada ficou, nem mesmo as pegadas...
A vida é mesmo assim, tem muitos instantes de prazer; durante o dia são imensos os momentos em que respiramos, no entanto, do que mais sinto falta, é daqueles momentos que nos cortam a respiração.
Foi por isso que após o almoço do primeiro dia, ainda houve – tempo, loucura ?!! - para voltar a subir quase até à Torre. Praticamente em apneia estrada abaixo, as extremidades pagaram o preço de mais um instante de prazer.

2 comentários:

Jorge Gambutas disse...

Amigo, eu fui educado para nunca desejar o que o meu vizinho tem melhor do que eu, a isso se chama inveja…mas confesso que ao ver as tuas aventuras em BTT…aí sim!!! Tenho mesmo muita INVEJA !!! eheheheheheh.
Aquele abraço… continua assim, a pedalar por esse Mundo fora.

Rotiv disse...

Olá :)
O Blogue dos Manteigas passou por aqui ;)
Parabéns pelas fotos :)
Um abraço,
http://bloteigas.blogspot.com/